Hipomineralização dos molares e incisivos: você já ouviu falar?

Postado: 11 de August de 2021

Seu filho costuma reclamar de dores nos dentes ao ingerir líquidos ou alimentos gelados? Você já observou que alguns dentes permanentes estão com a coloração mais escura e até mesmo parecem estar quebrados? Se a resposta é sim, não há mais tempo a esperar. A visita ao dentista deve acontecer imediatamente, pois todos esses sintomas podem mascarar uma condição que precisa ser tratada com bastante atenção: a hipomineralização dos molares e incisivos. Você já ouviu falar nessa condição?

Conheça aqui o que é a hipomineralização dos molares e incisivos, as razões que a fazem ser tão confundida com a cárie e como é realizado o seu tratamento.

O que é hipomineralização dos molares e incisivos?

A hipomineralização dos molares e incisivos, também conhecida como hipoplasia do molar incisivo (HMI), consiste em um defeito no processo de mineralização que ocorre em dente permanente, atingindo um ou mais molares e incisivos.  Esse defeito é notado em crianças na faixa etária de 5 a 8 anos de vida, durante a fase de troca dos dentes de leite.

Uma série de anormalidades podem ser desencadeadas a partir da hipomineralização nos dentes, sendo elas: aparência de coloração amarelada e opaca em sua parte externa, presença de manchas escuras e dentes mais fracos. Os dentes molares costumam sofrer mais danos que os incisivos, devido à maior exposição na mastigação dos alimentos.

Dessa forma, os dentes atingidos pela hipomineralização se tornam mais frágeis e quebradiços, o que aumenta as chances de rachaduras no esmalte do dente. Por isso, os cuidados com a higiene da boca devem ser redobrados após o diagnóstico, uma vez que esses locais fraturados são mais propensos a reter alimentos e desenvolver cáries.

Conheça as principais causas da hipomineralização dos molares e incisivos:

– Fatores genéticos e ambientais;

– Uso de antibióticos;

– Desnutrição infantil;

– Baixo peso ao nascer;

– Prematuridade;

– Infecções respiratórias;

– Infecções do trato urinário;

– Otite;

– Catapora.

Por que é comum confundir a hipomineralização dos molares e incisivos com a cárie?

Os sintomas da hipomineralização dos molares e incisivos podem ser parecidos com os da cárie, e esse é o motivo inicial que leva muitos pais a agendarem a consulta com o dentista. Porém, o profissional consegue diferenciá-las facilmente durante o exame clínico. 

Nos casos de hipomineralização, é possível notar que o esmalte do dente se quebra facilmente, além de apresentar manchas amareladas ao redor da cavidade.

Como é o tratamento da hipomineralização dos dentes?

O tratamento da hipomineralização ocorre por meio de restaurações de resina composta, clareamento dental ou retirada da camada mais externa do dente. A duração e quantidade de sessões varia de acordo com o quadro clínico de cada paciente.

A escolha pelo melhor tipo de tratamento dependerá de diversos fatores, sendo os principais deles relacionados à idade do paciente, ao quantitativo de dentes comprometidos e à fase de erupção em que se encontra o dente. Para os casos em que os dentes apresentam sinais de opacidade e perda de esmalte, são indicados o tratamento com a aplicação de verniz com flúor, selantes e restaurações com cimento ionômero de vidro (CIV).

Cabe salientar que as restaurações podem se soltar mais facilmente, caso não sejam realizadas em bordas normais de esmalte sadio. Para esses casos, será necessário maior número de restaurações no dente acometido e, portanto, mais tempo de tratamento dentário.

Nunca é demais lembrar que a melhor prevenção para a saúde dos dentes depende da boa higienização da boca e das visitas regulares ao dentista a cada seis meses. Com essas atitudes, mesmo que o seu filho tenha essa condição, certamente, os danos serão muito inferiores quando identificadas precocemente.

Publicado por: clinicaodontobarra

140 visualizações

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *